09 Jun 2019

Generic placeholder image

Nos dias atuais, viajar é algo muito simples. As pessoas já não se programam com semanas ou meses de antecedência como no século passado. Tomamos por exemplo o Brasil, com dimensões continentais e se viaja de uma ponta a outra em poucas horas, comprando a passagem e embarcando no mesmo dia. Essas “facilidades” tem sido a principal causa do homem ter se afastado de Deus? Orar para viajar? Já não é necessário! Pensam muitos que não acham necessário um relacionamento tão íntimo com Deus. Viajar de avião, carro ou de trem bala virou uma coisa tão rotineira, sem grandes riscos, devido a segurança, que aprendemos a não nos importarmos com essas “coisas mínimas”. Nunca nos esqueçamos: “Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito” (Lc 16.10). Nos dias do Rei Artaxerxes, e do sacerdote Esdras, foi proclamado um jejum em uma convocação de humilhação perante o Senhor, pois iriam fazer uma viagem; uma simples viagem, e entendiam que precisavam da proteção do Senhor. Jejuar por causa de uma simples viagem?! Não era para tanto, pensariam muitos cristãos de hoje. Hoje, mais do que nunca, deveríamos orar e jejuar sempre que fossemos numa esquina. Nunca foi tão inseguro viver entre pessoas, cujo o amor está esfriando quase à ponto de se tornar pedra de gelo. Chegou o tempo de compreendermos as palavras de Davi: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia” (Sl 46.1). Deus seja louvado! Amém.