11 Fev 2020

Generic placeholder image

No segundo semestre de 2017 a UNICEF fez um experimento em alguns países da Europa. O experimento consistia em colocar uma criança de 8 anos, bem vestida e cuidada, como se estivesse perdida numa rua ou praça onde as pessoas transitavam sem pressa, e num segundo momento a mesma criança, maquiada como uma mendiga, perambulando entre as mesas de um restaurante pedindo comida. Quando estava bem vestida, na praça, foi interpelada por várias pessoas que perguntavam onde estavam os seus pais; onde morava; se estava precisando de alguma coisa… Mas, quando transitava entre as mesas do restaurante como uma maltrapilha foi ignorada, maltratada e xingada. Ninguém lhe ofereceu comida. A UNICEF precisou intervir e parar as gravações, pois a criança não estava bem com aquela atitude das pessoas. Algumas perguntas importantes vem a nossa mente: Na era da informação ou da conscientização pelo conhecimento, porque tanta indiferença ou falta de cordialidade com as pessoas? A violência urbana e mundial tem deixado as pessoas mais insensíveis? O que está acontecendo com a raça humana? A Palavra de Deus nos apresenta um sábio conselho para que estejamos bem com nós mesmos e com os demais. Ela nos dá um mandamento prático: “Permaneça o amor fraternal”. A permanência do amor fraternal entre os homens, como irmãos, onde os gestos de afeição, caridade e cordialidade devem ser uma prática natural, e certamente promoverá a paz e o amor. Eis o segredo para viver com paz interior. Deus seja louvado! Amém.