22 Mai 2019

Generic placeholder image

Um homem com senso de justiça conseguiria viver em paz, sabendo que um inocente está pagando por sua culpa? Ou, como pode alguém transferir uma doença grave e terminal para outra pessoa, obtendo dela a sua saúde? Isso é impossível! Ninguém consegue ser feliz vendo o sofrimento dos outros. Pior ainda, é saber que alguém estar sofrendo por algum erro que cometemos. Só teremos paz, saúde física e emocional, se os que tiverem a nossa volta (próximo) não sejam afetados por nossos erros e culpas. O profeta Isaías, inspirado, utilizou uma metáfora para falar de substituição. Cristo nos substituiu e tomou o nosso lugar de dor, sofrimento e morte, para que pudéssemos ter acesso ao Seu lugar de vida plena e abundante. Ele nos deu a Sua paz e tomou sobre si a nossa agonia e desespero. Ele nos deu a esperança e pegou para si a nosso medo e dores. Ele nos deu a Sua saúde e tomou sobre si as nossas doenças (feridas). Foi o grande amor de Cristo que escolheu tomar o nosso lugar de morte eterna, a que estávamos condenados. Ele escolheu ser traspassado em nosso lugar, à ver-nos passar por tamanha dor. Os homens ainda olham para Cristo e O enxerga como um coitado sofredor, pendurado num madeiro, mas deveriam se enxergar naquele lugar, no seu justo lugar. Foi por causa desse amor que, onde havia trevas, raiou a luz; onde havia mentira, a verdade apareceu; onde havia condenação, a salvação chegou e onde havia pecado, a graça superabundou. Deus seja louvado! Amém.