24 Mai 2019

Generic placeholder image

Para a igreja dos últimos dias, a última - Laodiceia, Cristo deixa um conselho, pois é tão prepotente e melindrosa que não aceita mais a exortação: "Compre de mim... roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez..." (Ap 3.18), haja visto que as vestes de Cristo significam os atos de justiça dos santos (Ap 19.8), pois a nossa própria justiça de nada serve e é comparada à trapos da imundícia (Is 64.6). Se não nos revestirmos da justiça de Cristo e o seu caráter cubra a nossa vergonha, jamais seremos justificados e salvos (Gl 3.27). Toda essa verdade descrita no novo testamento, com a revelação da graça, em Cristo, estava predita e prefigurada em símbolos no Antigo Testamento. Ao profeta Zacarias foi mostrado uma visão simbólica de Josué, que estava morto na sepultura e aguardando a ressurreição, vestido com roupas sujas e o Anjo do Senhor diante dele mandando tirar aquelas roupas impuras. Em seguida, o Anjo do Senhor mostra a Josué que havia retirado o pecado dele, vestindo-o com vestes nobres. As vestes sujas simbolizam o caráter do velho homem, vestido com as impurezas do pecado, mas ao olhar para Cristo, ver o Seu exemplo, e entender o Seu caráter, quer ser igual a Ele, aceitando Suas vestes nobres de justiça. Como nova criatura, após revestir-se de Cristo, o homem é justificado pela fé no Filho de Deus. Só Jesus tem as vestes da justiça. Nos acheguemos a Ele e, de graça, experimentemos dessa fonte inesgotável de justiça (Ap 22.17). Deus seja louvado! Amém.