30 Nov 2019

Generic placeholder image

“O Senhor também com Judá tem contenda, e castigará Jacó segundo os seus caminhos; segundo as suas obras o recompensará” (Os 12.2). A linguagem das Escrituras Sagradas, muitas vezes incisivas, precisa ser compreendida com o bom senso do espírito de Deus em nós. Ora, se o Senhor tivesse contenda com Judá, ninguém restaria de Judá. Se o Senhor entrasse num litígio contra Israel, quem sobraria para contar a história? A verdade é que o homem, por sua transgressão e pecado, provocou e iniciou uma contenda contra o Senhor. Se o Senhor tivesse respondido na mesma proporção, os havia destruído a todos, mas a misericórdia do Senhor que dura para sempre, cujos alicerces é a sabedoria e o amor, dosou a medida certa do juízos e castigos ao povo rebelde, visando o aprendizado e salvação de todos os que aprendem com o espírito do Senhor. A contenda é algo tão terrível que até a face do Senhor se desfaleceria se permanecesse nela para sempre. A contenda é um mal criado pelo inimigo de nossas almas. Ela faz mal ao que ataca e ao que é ferido. Ao que tem razão e ao equivocado. Ninguém sai ganhando numa contenda. A infinita sabedoria de Deus nos diz que se o Senhor não fosse humilde e sábio a humanidade não existiria mais. A igreja de Cristo, sob a luz da verdade, descobriu que é muito melhor o ministério da reconciliação do que o ministério da contenda. Todos nós somos convidados a participar desse ministério, como embaixadores Cristo, e não mais com rivais do Senhor, em lados opostos. Deus seja louvado! Amém.