Pão matinal (01 Ago 2020)

Generic placeholder image

A MÃO DO SENHOR ENCURTOU?

Não é fácil administrar pessoas, e pessoas rebeldes pior ainda. Quanto maior o número, maiores e mais complicados serão os problemas para resolver. Mesmo que o líder seja alguém com muita experiência, sempre será um grande desafio.

Moisés foi um grande líder. Com paciência comandava uma multidão pelo deserto, cujo o número dos homens adultos e prontos para a guerra era de seiscentos mil, sem contar mulheres, crianças e idosos (Nm 11.21).

Essa multidão estava muito insatisfeita com um único tipo de alimento, o maná que o SENHOR mandava miraculosamente todos os dias. Eles sentiam saudades do cardápio variado de quando eram escravos no Egito (Nm 11.5). Eles estavam perdendo o apetite por comer o mesmo alimento todos os dias (Nm 11.6) e por isso choravam nas portas das tendas (Nm 11.4,10), choravam com saudades do Egito.

Moisés não suportou o peso daquela situação onde ele nada podia fazer e desabou diante do Senhor pedindo a morte (Nm 11.15). Pior ainda, Moisés, no calor da prova, chega a duvidar do poder do Senhor, pois segundo ele, para alimentar aquela multidão seria necessário muitos rebanhos de gado e todos os peixes do mar (Nm 11.22). Tudo isso depois que o Senhor prometeu alimentar o povo com carne durante trinta dias (Nm 11.16-20).

Realmente era uma situação impossível para os homens, mas para Deus não. Moisés fraquejou na falta de fé. Entendo que não foi fácil para Moisés olhar para os lados e ver apenas escassez e ausência de recursos visíveis à olhos nus. Mas, Moisés já tinha visto a sarça ardente, vara virar serpente, dez pragas, coluna de fogo, mar se abrir, água amarga se transformar em água doce, água sair da rocha, chover pão do céu e a glória do Senhor face a face.

Então o Senhor, com todo amor e paciência para com Seu servo faz a simples pergunta: “A minha mão (força/poder) encurtou, que eu não possa prover carne para essa multidão de pessoas?”

Muitos de nós cristão, hoje, não consegue enxergar o Senhor de forma alguma, nem mesmo com braços curtos. A fé sumiu do planeta Terra, para que se cumpra a palavra profética que diz: “Contudo quando vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?” (Lc 18.8). As pessoas tem medo de perder um simples emprego; de morrer de fome e por isso de submete a transgredir os mandamentos por falta de fé… não acreditam que o Senhor poder prover comida e bebida. Acreditar que o Senhor, num deserto, pudesse alimente mais de um milhão de pessoas, nem pensar! A nossa condição é pior que a do povo misto (o vulgo) que saiu do Egito.

A mão de Deus nunca se alargou tanto quanto na era presente. Somos quase 8 bilhões de pessoas no mundo para sermos alimentados e as produções de grãos bate recorde a cada ano. Somente a misericórdia de Deus nos mantém vivos nesse deserto de amor e compaixão para com o próximo. Se não enxergamos a mão do Senhor estendida, é porque nos falta colocar os óculos da fé. Peçamos ao Senhor que nos faça ver Seu poder.

Deus e Cristo Jesus sejam louvados! Amém.