04 Abr 2019

Generic placeholder image

Nunca haverá vitória sem batalhas. O índio Dyakalo Foratu Matipu, ou Farato, como gosta de ser chamado do Mato Grosso, passou em primeiro lugar para o curso de medicina, mas para chegar a essa conquista não foi fácil. Para chegar até ao local da prova, distante 340km de sua cidade Canarana, pediu uma moto emprestada e enfrentou a estrada de barro e enlameada pela chuva. Foram dezenas de quedas na estrada escorregadia. Precisou empurrar a moto por 2 horas e a viagem durou 13 horas e 40 minutos. Cinco anos antes, Farato contou que havia dias que não tinha o que comer; chorava, pensava em desistir. “Meu café da manhã era água, meu almoço era água, minha janta era água. Meu sonho era cuidar do meu povo, mas ninguém me dava oportunidade”. Na carreira cristã não é diferente. O servos de Cristo passarão por duras provas, mas vencerão. Cristo nos chama para sermos vencedores, cujo o prêmio é infinitamente maior que a maior honraria conferida aos homens. A coroa da vida eterna é o grande símbolo, uma espécie de troféu para os vencedores (Ap 2.10), que perseveraram até o fim, sem desistir (Mt 24.13). A força motriz que faz uma pessoa não desistir é o amor. O amor às pessoas de Deus e de Cristo é a grande motivação dos verdadeiros filhos de Deus. “…o amor procede de Deus. Aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” (1Jo 4.7-8). Deus seja louvado! Amém.