05 Abr 2019

Generic placeholder image

Nunca houve um rei como Davi. O homem conforme o coração de Deus (At 13.22), recebeu o chamado de Deus ainda muito jovem, sem nenhuma experiência, pois era um humilde pastor de ovelhas. Também não tinha qualquer formação acadêmica, nem muito menos noções de como seria a vida de um membro da realeza. Ele nunca foi preparado para ser príncipe. Davi foi o maior rei que já existiu porque era um "Zé ninguém", e Deus usa as coisas "loucas" desse mundo para envergonhar as que se acham sábias demais (1Co 1.27). Só na vida de Davi a glória de Deus poderia ser vista. Ninguém tem dúvidas que não foi Davi quem venceu e matou Golias, mas o Senhor atuando nele. Não foi o estrategista Davi que venceu todas as nações que se puseram no caminho de Israel, mas Deus usando a frágil mão dele, para Sua glória. Não é Davi que deve ser engrandecido, mas Deus que lhe conferiu honras, pois o Senhor honra os que Lhe honram. Tudo isso só foi possível por causa da humildade de Davi, pois manteve o mesmo espírito de justiça, desde jovem até se tornar o grande rei de todo Israel. Esse espírito de humildade e de reverência ao Santo nome de Deus foi notório após ele cometer dois graves pecados (adultério e homicídio) e o profeta Natã foi enviado para exortá-lo daquele tamanho mal. Davi, diferentemente dos outros reis que matavam os profetas que ousavam repreendê-los, ao ouvir o profeta de Deus, se humilhou imediatamente e reconheceu seu erro, se arrependeu verdadeiramente e se converteu do mal. O Senhor o perdoou na mesma velocidade com que ele reconheceu o erro e se arrependeu. Não há pecado grave que não possa ser apagado pelo sangue de Cristo. Deus seja louvado! Amém.