08 Dez 2018

Generic placeholder image

Deus não pode mudar, nem ao menos variar, pois Seu caráter de perfeição não Lhe permite o erro, precipitação ou equívoco (Tg 1.17). Os homens que não conhecem o futuro e planejam erradamente ou falam daquilo que vem a se arrepender, podem reajustar seus planos, mudando ou mentindo, mas Deus não, pois ELE é onisciente. É alicerçada nessa onisciência que estão as duas coisas (colunas) imutáveis: Promessa e Juramento. Quando Deus promete, temos a certeza que será cumprido. Quando ELE faz juramento, jurando por ELE mesmo, pois não há ninguém acima DELE, está apresentando a firmeza para que todos já aceitem certo. Deus prometeu a Abraão que daria Seu Filho único em prol de toda a humanidade que o aceitasse pela fé (Gl 3.18). Deus jurou que Cristo seria sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque, adentrando após o véu do lugar santíssimo, como sumo-sacerdote, precedendo-nos, para interceder ao Pai pelos arrependidos de coração e convertidos de verdade (Sl 110.4 e Hb 6.19-20). Deus prometeu e cumpriu aquilo que disse a Abraão (Gn 22.16); jurou e comprovará tudo quando o Seu Filho Jesus Cristo, na Sua glória, regressar nas nuvens dos céus, concluindo a obra redentora e salvadora. Deus é imutável e não poder mentir. A Sua promessa é de vida eterna (1Jo 2.25) e o Seu juramento está intrinsecamente arraigado em Seu caráter (Hb 6.13). Deus seja louvado! Amém.