10 Abr 2019

Generic placeholder image

A morte é inaceitável e estranha à obra que saiu das mãos do Eterno, para que eterno fosse. Por mais fé e esperança que uma pessoa tenha, em Cristo, não é fácil lidar com a morte. Até mesmo o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo chorou quando viu o túmulo e o povo chorando por Lázaro (João 11.35). Cristo em um dos Seus ensinamentos mais preciosos, encontrado no Livro de João, capítulo 5, falou do Seu poder sobre a morte, dado pelo Pai (v 26), ao afirmar que os mortos ouviria a voz do Filho de Deus e reviveriam (v 25). Foi preciso muita coragem em afirmar isso, haja visto que havia uma classe de príncipe, reconhecido como sábios, os saduceus, que não acreditavam na ressurreição dos mortos (At 23.8) e o povo eram influenciados por eles. A fala de Cristo, dizendo ter completo domínio sobre a morte, com poder de ressuscitar qualquer um, deixou o povo atônito. Então Jesus lhes disse: "Não fiquem admirados com o que eu disse". Vai chegar a hora, quando o Senhor descer dos céus, os que morreram na fé em Cristo ressuscitarão (1Ts 4.16), ouvirão a Sua voz e sairão para uma vida eterna (v 29). É a ressurreição a maior doutrina que da testemunho de Cristo. Sem a doutrina da ressurreição não há cristianismo, ou mesmo Jesus Cristo, pois é vã toda a fé (1Co 15.13-18). Muitos por não compreenderem a verdadeira esperança buscam saídas filosóficas, mais fáceis, baseados na lógica popular e desprezando o fato que Aquele que prometeu, apresenta Seu túmulo vazio. O mundo tem apresentado a lógica da reencarnação, mas Cristo tem apresentado a fé da ressurreição. É você quem deve escolher no que e em quem acreditar. Deus seja louvado! Amém.