20 Nov 2018

Generic placeholder image

"Não me arrependo de nada que fiz, afinal meus erros e acertos transformou-me na pessoa que sou hoje". Pensamentos como esses superabundam na rede mundial de computadores (internet), dando a sua "contribuição" para a formação de pessoas culturalmente midiáticas. Enxergar o arrependimento como algo ruim e os erros como algo bom, é mais que inversão de valores, é involução. Atualmente, aqueles que pregam o verdadeiro evangelho que apresenta a necessidade de arrependimento, é como pregar num deserto, para uma ínfima minoria. Nos dias de João Batista, o maior dos homens, já nascido de mulher (Mateus 11:11), foi enviado por Deus aos desertos da Judéia, literalmente, para pregar o arrependimento, antes que Jesus Cristo aparecesse à eles. Nos dias atuais, antes de Cristo aparacer novamente, em glória nas nuvens dos céus, é necessário pregar o mesmo arrependimento, pois a humanidade e, principalmente, os cristãos se tornaram tão fúteis e vazios, que lhes será necessário abandonar o "conforto" das ideias filosóficas e civilizadas (carnais), para aceitar o deserto da verdade (espiritual). Muitos "Batistas" surgirão anunciando a vinda definitiva do Reino de Deus. Uns os enxergarão como loucos e outros como enviados de Deus. E você, já parou para refletir sobre isso? Que Deus ilumine nossas mentes. Deus seja louvado! Amém.