23 Nov 2018

Generic placeholder image

"Ou tudo, ou nada", é uma posição muito radical. Nos dias atuais, onde o relativismo impera, muitos buscarão um "meio-termo", descartando qualquer "posição radical", como denominam aqueles que se posicionam com firmeza pelo "sim" ou pelo "não", desprezando o "talvez". Muitos cristãos também tem aderido a essa nova filosofia, mas o próprio Cristo afirma: "Seja o seu ‘sim’, ‘sim’, e o seu ‘não’, ‘não’; o que passar disso vem do Maligno" (Mt 5.37). No Apocalipse, mais um texto nos revela que Cristo não tolera o "morno", mas seria melhor que fosse quente ou frio (Ap 3.15,16). Seria Jesus Cristo radical demais ou os Seus professos seguidores não O conhece suficiente? Seguindo a mesma linha de raciocínio, Cristo continua a nos ensinar que é impossível servir a dois senhores rivais, como Deus e o diabo, ou como a Cristo e Satanás, ao mesmo tempo, pois há de amar a um e odiar o outro. Ou um, ou o outro. Deus não divide Sua glória com ninguém (Is 42.8). Se um cristão não entregou seu coração completamente a Deus, mas reservou uma pequena parte para o pecado, seguindo os mandamentos da morte e do inimigo das nossas almas, certamente já escolheu o lado da "frieza" e do "não", que é a mesma coisa que se posicionar no meio-termo, talvez, mornidão ou em cima do muro. Deus quer que sejamos "quentes" espiritualmente e do "sim" para a fé e obediência a ELE, irrestritamente. Deus seja louvado! Amém.