04 Nov 2018

Generic placeholder image

Você já empregou o seu tempo e experiência de vida para aconselhar a alguém que não deu a devida importância? Isso ocorre, e principalmente, quando apresentamos os conselhos preciosos da Palavra de Deus a alguém que não está interessado em ouvir ninguém, nem a Deus, mas unicamente seu próprio coração e os prazeres latentes da carne que o cega para obedecer a esses impulsos irracionais. Muitos bons cristãos se detém, insistentemente, à pregar e tentar convencer pessoas que amam a trilharem pelo bom caminho. Mas, de nada adianta se os seus ouvidos não estão interessados, mesmo que seja o tesouro da verdade. Neste caso o problema não está apenas naquele que não quer ouvir, mas no aconselhador. Para os que incorrem neste erro de falta de discernimento, Cristo diz: "Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, não aconteça que as pisem com os pés e, voltando-se, vos despedacem" (Mateus 7:6), pois não sabem o valor da Palavra da Sabedoria. Já para aqueles que buscam compartilhar o sábio conselho na hora certa, sem deixar passar a oportunidade perfeita para ensinar motivando, exortando ou repreendendo, aprendam que: "Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo" (Provérbios 25:11). Deus seja louvado! Amém.