28 Out 2018

Generic placeholder image

Nunca na história da raça humana o homem tem se comportado com tanta soberba como no tempo presente. Na era das especialidades, estimula-se e premia-se toda espécie de habilidades, desde a importantíssima descoberta científica que melhorará o bem-estar do humanidade, como as inutilidades e futilidades de empilhar copos em menos tempo ou cultivar o maior bigode do mundo e se manter no Guinness Book. Por outro lado, as teorias filosóficas e religiosas vinda do oriente estimula a auto-estima e o "poder" interior de cada um: "Você pode!"; "Você consegue!"; "Tenha fé em si mesmo!"... Homens e mulheres midiáticos têm buscado dentro de si esse tal poder, e quando conseguem realizar algo que julgam importante, pensam: "Eu sou o(a) cara!". Esquecem das palavras de Cristo: "Sem mim nada podeis fazer" (João 15:5). A soberba é um terrível engano que afasta o homem de Deus gradativamente, criando uma falsa sensação de poder, mas quando descobrem suas terríveis limitações, é preciso enfrentar a dura realidade da depressão e do medo. Para isso o sábio conselho de Pedro é: "Sejamos humildes uns para com os outros, porque "Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes" (1 Pedro 5:5). O sábio sempre será humilde e pela sua humildade será grande. Deus seja louvado! Amém.