Pão Matinal (15 Jun 21)

Generic placeholder image

O FRUTO DA FÉ PROVADA

Na maior pregação profética de Jesus Cristo, no fim do seu ministério aqui na Terra, ele revelou as grandes dificuldades que ocorreriam no futuro. Em específico falou de coisas terríveis que iram acontecer no tempo do fim: Conflitos entre nações, terremotos, pestes, fomes, perseguições e mortes. Além do surgimento de enganos na boca de profetas falsos, escândalos, ódio e traições.

O resultado disso tudo, é que o amor se esfriaria de quase todos, inclusive e/ou principalmente daqueles que estariam dentro das professas igrejas cristãs.

Depois de apresentar o cenário desafiador, Cristo apresentou a solução para que os Seus fiéis não sucumbissem diante dessas dificuldades: “mas aquele que perseverar até o fim será salvo” (Mt 24.13).

A perseverança é a virtude a ser buscada no tempo do fim. Mas onde encontrar perseverança numa geração ensinada a desistir com facilidade e se desestimular com tão pouca coisa?

Da mesma forma que um atleta de alta performance se prepara para correr uma maratona de 42km nas olimpíadas: Treinando todos os dias, cuidando da alimentação, dormindo cedo, cronometrando cada milésimo de segundo ou centímetro conquistados… Confiando e permitindo que seu técnico o prove em todos os aspectos.

Assim também, os discípulos de Cristo precisam confiar nele. Ele é o Mestre que ensina e prepara seus discípulos, fortalecendo-os para não desistirem durante a longa e dura prova.

Essa preparação é feita mediante as provas necessárias para o crescimento da fé. É assim que a fé é provada. A cada prova superada sob a orientação e exemplo de Cristo. E os “músculos espirituais” para a perseverança são fortalecidos cada vez mais.

Não há outra forma de preparação e de fortalecimento da nova criatura em Cristo. A fé genuína quando é provada cresce, mas o religioso desiste.

A maioria destes professos cristãos sofrem de “obesidade religiosa”, mórbida, pois se acostumaram a comer todo tipo de alimento gorduroso, sentados nas suas congregações, alimentados por seus mestres.

São religiosos doentes, sem ânimo para agir, e completamente dependentes dos seus líderes. Não tem coragem e nem força para reagir. Sem resistência espiritual, desistem facilmente de tudo o que começa a fazer. Começam e não terminam. Ao sinal da primeira dificuldade, abandonam a preparação: leitura da Palavra, oração, comunhão com os irmãos e a pregação do evangelho.

É preciso seguir as orientações do único Mestre – Cristo Jesus. Todo começo é mais difícil, mas depois de algum tempo começa a ser prazeroso.

Deixe Cristo dirigir a tua vida. Essa é a única forma de se tornar uma pessoa perseverante e um grande vencedor.

Deus e Cristo Jesus sejam louvados! Amém.