Pão Matinal (16 Jun 21)

Generic placeholder image

DESTRUIÇÃO DO PECADO

Para que o Filho de Deus se manifestou aos homens como o Filho do Homem?

Essa pergunta pode nos ajudar a entender o porquê de o Filho de Deus – o Verbo, se fez (se transformou em) carne (humano) e habitou entre nós, humanos.

O apóstolo João nos dá uma resposta curta e direta: “Para destruir as obras do diabo” (1Jo 3.8).

Segundo o apóstolos Paulo, escrevendo aos crentes da Galácia, as obras do diabo, ou da carne, são: “Adultério, fornicação, impureza, lascívia,
Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas” (Gl 5.19-21).

Como Jesus Cristo conseguiu condenar essas coisas tão viciantes e poderosas? Se já é muito difícil vencer uma dessas obras, isoladamente, imagine todas elas juntas? E Jesus Cristo condenou essas obras de pecado em sua própria carne de pecado:

“Porquanto, o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne” (Rm 8.3).

Jesus Cristo nos mostrou que cada um de nós, em carne de pecado, pode vencer o pecado se seguir o seu exemplo. Isso é incrível, pois temos a prova de que é possível viver sem pecar, se estivermos em Cristo Jesus.

Somente Jesus Cristo, aquele que se manifestou em carne humana, poderia impedir o avanço do pecado na vida dos homens feitos novas criaturas nele.

Somente Cristo Jesus poderia resgatar-nos da prisão a que o diabo nos condenou. Era uma vida oprimida de escravidão que o inimigo nos submeteu, à praticar o pecado cotidianamente, por hábito e por costumes, desde o princípio, desde os dias dos nossos primeiros pais: Adão e Eva.

Mas Deus enviou o Seu Filho, em forma humana, nascido de mulher (Gl 4.4), para nos ensinar e provar que os seres humanos guiados pelo espírito de Deus, como Cristo Jesus se deixou ser guiado, podem ser livres e resgatados para o reino do Seu amor (Cl 1.3).

Quando Cristo destruiu as obras do diabo na sua carne, também nos ofereceu, por extensão dos seus feitos, a salvação pela graça a ele confiada pelo Pai, restaurando e nos garantindo: Liberdade – o livre-arbítrio (João 8.32 e 36); Novo nascimento como uma nova criatura espiritual nele (2Co 5.17); Justificação pela fé (Rm 3.28) e Vida eterna (Rm 6.23).

Lembre-se: Antes de o pecado ser destruído para sempre, ele precisa ser destruído em nós primeiramente.

Deus e Cristo Jesus sejam louvados! Amém.