Pão Matinal (19 Out 21)

Generic placeholder image

A LETRA MORTA MATA

“Quem odeia seu irmão é assassino. E sabeis que a vida eterna não permanece em nenhum assassino” (1Jo 3.15).

Na santa doutrina bíblica, espiritual, não é necessário que alguém tire a vida de outro, para que seja considerado um homicida. No tribunal de Cristo, aquele que sente ódio por seu irmão é considerado um assassino. Parece duro, mas é a mais pura verdade.

Não é uma arma de fogo que mata alguém, mas a pessoa que a manuseia e puxa o gatilho. O gatilho só é puxado porque há um motivo, e antes desse motivo existiu a ira e o ódio, alimentados pela cobiça, inveja, ganância… e outros frutos da maldade.

A relação causa e efeito pode ser perfeitamente discernida por aqueles que examinam as Escrituras Sagradas com profundo cuidado e não apenas os que observam a superfície da letra, da gramática e da escrita, focando apenas aos aspectos culturais da linguística.

Os superficiais se deterão apenas no efeito. Se não houver um cadáver no chão, então não houve crime, deduzem eles.

Os que se detém num exame profundo, cavam até a causa, para resolver ou corrigir o erro na origem do problema.

Uma cidade onde muitas pessoas morrem de câncer de pulmão devido a ação da nicotina, pelo uso de cigarros, não basta construir mais hospitais e comprar máquinas modernas como pulmões artificiais para tratar os doentes terminais, mas investir fortemente na educação das crianças, para que atingindo a maioridade escolham uma vida saudável.

Jesus Cristo, o nosso exemplo, quando ensinava os seus discípulos nunca se deteve somente no efeito do pecado, mas explorou com profundidade as causas. Ele não disse: “Não se deitem com a mulher do seu próximo para adulterar”, mas disse: “Não alimentem o desejo ou fantasias sexuais com a mulher do seu próximo, do contrário já estarão pecando, pois é daí que nasce o pecado”. Isso está implícito na fala de Cristo (Mt 5.27-28).

Cristo sempre nos estimula a evitarmos as visões rasas que só possibilitam enxergar o efeito. Todavia, aqueles que examinam a Palavra de Deus, como uma espada aguda de dois fios que penetra até a divisão da alma e espírito (Hb 4.12), de forma profunda e com olhos espirituais, identificarão a causa.

A raiz do problema, onde se origina todo o mal, no coração do homem (Mt 15.19), é onde se observa o efeito, mas Cristo Jesus, o melhor “cardiologista” do mundo, nos revela por seu espírito a solução, matando o mal pela raiz.

“Todos os caminhos do homem lhe parecem justos, mas o Senhor pesa o coração” (Pv 21.2). Só Cristo pode purificar os nossos corações pela lavagem de Sua Palavra (Ef 5.26).

Deus e Cristo Jesus sejam louvados! Amém.