Pão Matinal (20 Out 21)

Generic placeholder image

O AMOR É A CURA

A Palavra de Deus nos ensina que a real motivação do homicida está no ódio contido em seu coração. Se não houvesse ódio não haveria violência.

Se o grande problema é o ódio residente no coração, devemos despejá-lo, limpar a casa para recebermos o espírito de Cristo, enviado por Deus aos nossos corações (mentes), pois devemos ser morada do espírito santo de Deus (Gl 6.4 e 1Co 6.19).

Só o espírito de Cristo, proveniente de Deus, pode nos convencer pela santa instrução, que o amor é o único antídoto contra o ódio.

O amor de Deus é a cura para essa terrível doença. É o mais potente “antibiótico” espiritual contra as terríveis infecções que a inveja, ira e ódio pode causar ao coração.

O amor de Deus é a mais poderosa “intervenção cirúrgica” que pode existir. Ele nem precisa arrancar fora o órgão, trocando por outro. Com o precioso e puro sangue de Cristo é feita uma limpeza completa, eliminando todos os problemas cardíacos provocados pelos pecados, que como gorduras, se alojaram nas paredes das artérias, entupindo-as e impedindo a passagem das mensagens espirituais de Deus à consciência do homem.

Esse antídoto não tem contraindicação e não provoca sequelas oriundas dos efeitos colaterais, mas promove mudanças somente para o bem.

Os remédios receitados pelos homens não curam, só remediam, mas o problema continua na origem. A bactéria do ódio, que faz abater o espírito e secar os ossos (Pv 17.22), não pode ser curada pela força humana. Apenas o Senhor é a fonte da cura.

O amor é tão poderoso que não cura apenas o coração, mas traz visão ao míope que tem dificuldade de enxergar a verdade; ao surdo que não ouvia mais a voz do espírito de Deus; força e energia para o paralítico espiritual se motivar a praticar o bem; traz ao mudo ânimo para pregar a verdade que salva e ao depressivo a motivação pelo testemunho de Cristo.

O amor é o elixir polivalente que Deus no dá de graça, para sermos curados do mais terrível mal que infectou o nosso sistema imunológico, alterando o nosso DNA, nos transformando em pessoas inclinadas para o mal. Ou seja, pecado e morte.

Tudo começa quando aprendemos a viver em união uns com os outros. Quando promovemos a paz e a harmonia entre os irmãos.

Amar uns aos outros é um exercício diário, necessário para os que sofrem da obesidade mórbida, causada pelo excesso de teorias e ausência da prática do amor, provocada pela religiosidade e falta de espiritualidade.

Busquemos aprender com o amor de Cristo. Com isso, amaremos ao próximo, a Cristo e a Deus, nosso Pai, fonte de todo amor.

Deus e Cristo Jesus sejam louvados! Amém.