Pão Matinal (21 Out 21)

Generic placeholder image

FUGIR DE UMA “BOA” BRIGA?

“Quando um não quer, dois não brigam.”, esse é um provérbio popular muito conhecido, mas muito pouco praticado. O problema está na natureza carnal do homem pecador, que está sempre disposto para uma disputa.

“Nunca discuta com um ignorante, ele te rebaixará até o nível dele e te vencerá por experiência.” Essa frase de Dilbert é muito utilizada nas redes sociais nas discussões acirradas entre rivais. Apesar de haver uma certa lógica nesse pensamento, pelo fato de já termos presenciado ou até vivido situações do tipo, isso não pode ser visto como uma verdade absoluta, pois o ignorante que rejeita a verdade nunca vence no final.

O SENHOR nos deu mandamentos e muitos conselhos para nos tornarmos sábios com a prática dos Seus ensinos, mas por causa da nossa rebeldia provocamos uma contenda contra ELE. Ao invés de aceitar a briga que propomos, ELE resolveu se afastar um pouco para não nos machucar e destruir.

No SENHOR reside toda a força e nunca perdeu uma disputa. Também nELE reside toda a sabedoria na forma de misericórdia, justiça e amor. Para evitar a destruição do pobre homem que O desafia, ELE recua, pois sabe que só ELE tem o espírito da vida, preferindo insistir em dar ao pobre e frágil homem, ânimo ao espírito e alento ao coração:

“…Habito num lugar alto e santo, mas habito também com o contrito e humilde de espírito, para dar novo ânimo ao espírito do humilde e novo alento ao coração do contrito.” (Is 57.15).

ELE e os homens sábios sabem que a parte mais fraca sempre provocará achando ser a parte mais forte. Os fracos sempre provocam os fortes. Todo homem fraco é inquieto e na sua ignorância vive chamando os outros para a briga. Os fortes não perdem tempo com os fracos.

1. O fraco Golias, o gigante na aparência, desafiou o forte Davi, pequeno na aparência, e perdeu;

2. O fraco exército dos midianita, numeroso na aparência, desafiou o forte grupo de Gideão e seus 300 homens de corneta, frágil na aparência, e perdeu;

3. O fraco Nabucodonosor, poderosíssimo na aparência, desafiou Misael, Ananias e Azarias, pobres na aparência, e perdeu.

A relação de experiências bíblicas é extensa: Faraó vs Moisés; Potifar vs José; 5 reis vs Abraão; Gaza vs Sansão; Jericó vs Josué; Jezabel mais 850 profetas vs Elias; Satanás vs Jesus, o FIlho do homem.

Um desconhecido disse: “Quando eu era um garoto de 14 anos, meu pai era tão ignorante que eu mal conseguia suportar ficar perto daquele senhor. Mas, quando completei 21, fiquei estarrecido com quanto ele havia aprendido nesses sete anos.” É assim que o homem fraco, que não compreende o amor de Deus, pensa. Somente quando começa se aproximar dELE e compreendê-LO, vem a admiração e o respeito santo.

Deus e Cristo Jesus sejam louvados! Amém.