Pão Matinal (23 Mai 22)

Generic placeholder image

É PELOS FRUTOS

As qualidades de uma árvore são medidas, principalmente, pelos seus frutos.

Para o faminto, não adianta ter grande estatura, ser frondosa ou possuir folhagem exuberante, se não saciar deliciosamente a fome e o prazer daquele que a plantou e cuidou, não serve ao propósito. É o fruto bonito, saudável e saboroso que vai definir a boa árvore.

Na cultura judaica as árvores têm muitas utilidades: (1) Frutos; (2) Madeira para móveis e construção; (3) Ferramentas; (4) Remédio; (5) Óleo e perfumes; (3) Lenha para o fogo e outras utilidades, mas a maior de todas é o alimento fornecido por elas.

Jesus Cristo usou como exemplo a videira, que não tem boa madeira para móveis ou para a construção civil, muito menos uma boa biomassa para combustão – fogo. Seus frágeis sarmentos, servem no máximo para acender o fogo, e logo é consumidos.

Obviamente, Cristo usou a videira como exemplo porque Ele queria falar e exaltar a questão dos frutos, a razão maior pela qual a videira existe.

A videira precisa ser podada para que dê frutos saudáveis e em abundância. Portanto, todos os galhos defeituosos e que estejam roubando energia da planta, sem produzir frutos, devem ser cortados, servindo apenas para alimentar o fogo. Os galhos remanescentes, que permanecerem ligados à videira, receberão mais nutrientes, para serem cada vez mais fortes e produzam cada vez mais frutos.

Ao usar a videira como uma metáfora, para nos apresentar o Pai, Ele e os homens: O Pai – o agricultor; O Filho – a videira (raiz e caule); Os homens (servos) – os ramos ligados ao caule. Os galhos sem frutos representam os que se ligaram a Cristo apenas pela aparência, são religiosos, mas não se converteram de fato para receber Seu espírito, e os galhos que dão frutos representam os santos convertidos e justificados.

A poderosa seiva (o sangue da planta) que corre nas “veias” dos galhos é o espírito santo de Deus em Cristo Jesus. (Gl 4.6).

Os que estão verdadeiramente em Cristo dão muitos e bons frutos. É impossível estar ligado à Cristo e não produzir frutos espirituais para vida eterna. Por isso, todo o cristão genuíno deve ser conhecido pelos seus bons frutos (Mt 7.20).

Os bons frutos são aqueles que produzem verdadeiro arrependimento e mudança, para o aperfeiçoamento do caráter (Mt 3.8 e 5.48). Os frutos que brotam, de dentro para fora, com o poder do espírito de Cristo no homem, são: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança (Gl 5.22).

Sem o espírito de Cristo no coração, dado por Deus, o Pai, o Agricultor, não haverá colheita dos frutos: “Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele” (Rm 8.9).

Deus e Cristo Jesus sejam louvados! Amém