Pão Matinal (25 Nov 21)

Generic placeholder image

TEMPLOS VIVOS

“Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1Co 6.19).

Deus, o Altíssimo, não habita em templos construídos por mãos humanas (At 7.48), pois o Deus vivo só pode habitar em “templos” vivos.

A vastidão da mente humana é como o espaço sideral, tão grande que não conseguimos enxergar o seu fim. É nesse grandioso espaço que o SENHOR deseja habitar, ocupando todos os recantos por meio do Seu santo espírito.

A mente, dotada de razão e influenciada pelo espírito santo de Deus, deve controlar todo o corpo. É nesse “lugar” onde o espírito santo de Deus dever governar as nossas vidas, nos indicando as boas escolhas para a vida (João 3.8 e Dt 30.19).

Toda essa compreensão, apesar de lógica e até primária para os mais experientes nos caminhos de Cristo, era muito avançada para a compreensão rudimentar do professo povo de Deus nos dias de Davi e de Salomão.

Muitas pessoas daquele humilde povo acreditava que o SENHOR morava naquele templo de pedras, fisicamente, como os homens moravam em suas casas, mesmo o Davi e Salomão declarando que os céus eram pequenos demais para conter a presença de Deus e comparou o planeta Terra a uma espécie de tapete onde ELE colocava os Seus pés, devido a sua insignificância em relação a grandeza de Deus.

Eles sentiam uma necessidade de construir um templo de pedras para que o Altíssimo habitasse lá dentro, como se o Altíssimo fosse um senhor velhinho que carecesse de cuidados especiais ou como um rei humano que precisasse ostentar sua autoridade no seu palácio glorioso e temporário.

As palavras de Salomão, em sua oração de consagração do templo disse: “Mas, na verdade, habitará Deus com os homens na terra? Eis que os céus, e o céu dos céus, não te podem conter, quanto menos esta casa que tenho edificado?” (2Cr 6.18).

Nem os céus e nem a Terra podem conter a glória de Deus. O nosso Senhor Jesus Cristo foi bastante claro em nos revelar qual o “lugar” que Ele deseja habitar: “…porque habita convosco, e estará em vós” (João 14.17). Não somente Ele, mas com Ele traz Deus, o Pai, consigo: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.” (João 14.23).

Salomão falou, na inauguração do templo, que ali seria o lugar da “eterna habitação” do Senhor, uma tipologia do nosso corpo, nossa mente espiritual. Era uma sombra ou tipo que apontava para algo original e superior, o antítipo.

O Eterno quer habitar em nós, como templos vivos, para que sejamos capazes de oferecer cultos racionais ao autor da vida (Rm 12.1).

Deus e Cristo Jesus sejam louvados! Amém.